Por que Berlim é a cidade menos alemã que você vai visitar

Oktoberfest? Roupas típicas? Danças tradicionais? Ordem e pontualidade? Se essa é a imagem que você tem da Alemanha, Berlim vai te assustar à primeira vista. A capital alemã tem vida e personalidade próprias e se distancia muito desses clichês.

Vivo há mais de 10 anos em Berlim e nesse tempo pude perceber e vivenciar o quanto a cidade se diferencia do resto da Alemanha. Não que essas diferenças sejam exclusivas de Berlim, mas aqui tudo é muito mais visível.

1. Ordem e pontualidade? aqui não

A Alemanha tem uma reputação de ser um país com ordem, onde as coisas funcionam e são pontuais. Claro, nem toda a Alemanha é assim e há exceções. Mas Berlim tem o caos e a espontaneidade como suas marcas.

Principalmente para quem é do sul da Alemanha, Berlim é uma “referência” para desordem e sujeira. Um exagero. Vamos e convenhamos, a cidade não é arrumadinha como vilarejos na Baviera, mas visualmente não é mais suja e desorganizada que outras grandes metrópoles como Londres e Barcelona.

Pontualidade é outro ponto que passa longe do jeito de ser dos Berlinenses. Óbvio que compromissos em repartições oficiais, médico e horário de trabalho, por exemplo, devem ser respeitados, mas pessoalmente os berlinenses são muito mais flexíveis em relação a horários do que se imagina.

2. Motor econômico? Berlim faz economia do seu jeito

Enquanto a Alemanha é a principal potência econômica da Europa e conhecida como motor econômico do continente, Berlim é há muito tempo conhecida pelo seu slogan “Pobre mas sexy” (Arm, aber sexy).

A capital alemã tem salários abaixo da média do país e taxa de desemprego acima da média, mas aluguéis e custo de vida mais baratos do que em outras grandes cidades do país. Além disso, Berlim é um polo para criativos e atrai com isso pessoas do mundo todo querendo fazer negócios e realizar seus projetos na cidade.

3. Salsicha? só se for vegana

Salsicha, carne de porco e outros pratos típicos alemães com carne passam longe daqui. Berlim é uma meca para veganos e vegetarianos e referência no assunto para viajantes do mundo todo.

Berlim é uma das cidades mais veganas do mundo. Segundo o site Happy Cow, a cidade ocupa a terceira posição no ranking das cidades mais amigáveis para veganos. Berlim conta com 62 restaurantes veganos e 397 que ou são vegetarianos ou têm opções vegetarianas no cardápio.

Eu sou vegano e não encontro dificuldade alguma no meu dia-a-dia para encontrar opções na cidade, Praticamente todo restaurante tem uma opção vegana, supermercados são cheios de produtos veganos e até as festas para as quais você é convidado pensam nos veganos.

4. Berlim não é cristã

Enquanto cerca de 60% da população da Alemanha é cristã (católica ou protestante) em Berlim esse percentual cai para 25%. Além disso, boa parte dos berlinenses declara não ter religião, o que não acontece em outras partes do país.

Sim, há muitas igrejas em Berlim, mas num domingo você provavelmente verá nelas muito mais turistas do que fiéis. Em Berlim existem aproximadamente 250 religiões ou filosofias de vida que convivem, se respeitam e são inclusive protegidas pelo Estado (a liberdade religiosa faz parte da Constituição Alemã).

5. Berlim é de esquerda

Enquanto boa parte da Alemanha é governada por partidos de centro ou direita (e seus habitantes em geral têm essas posições políticas) Berlim é de esquerda. A cidade é governada por uma coalizão com 3 partidos que se alinham à esquerda no espectro político: SPD (Partido Social Democrata), LINKE (Esquerda) e GRÜNEN (Partido Verde).

E não só isso: nos últimos 70 anos Berlim teve na maior parte do tempo um governo de esquerda. Para comparação, na Baviera o governo é de centro-direita (CSU) desde a década de 60. A população de Berlim também tem um pensamento e comportamento bastante progressista e mostra mais engajamento em causas sociais e defesa de programas sociais do que a população em outras partes da Alemanha.

Exemplo disso foi o acolhimento de refugiados sírios em 2015, enquanto em outras cidades na Alemanha houve até protestos contra o acolhimento de refugiados.

6. One coffee, please

Em Berlim quase 20% da população é de estrangeiros. Ouvir não só inglês como outras línguas por aqui é rotina para quem vive ou visita a cidade. Muitos estrangeiros vivem em Berlim por anos sem aprender uma palavra de alemão.

É claro que falar alemão faz diferença, mas dependendo dos círculos sociais em que você vive, o inglês vai muitas vezes ser mais importante do que o alemão. Muitas empresas (principalmente start-ups) usam o inglês como língua de comunicação. Eu já trabalhei em 2 start-ups e toda a comunicação era em inglês.

Além disso, informações públicas (transporte, placas, etc) geralmente vêm acompanhadas de uma versão em inglês e assim quem não fala alemão não tem muito problema para se orientar na cidade. O mesmo vale para pedir informações a alguém: mesmo que a pessoa não fale muito bem inglês, vai se virar pra conversar com você.


Fonte: Statista

DW – Meet the Germans

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s